Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Audição filha

por kika_70, em 11.12.12

Correu bem. Tive que ouvir não sei quantas pianadas até chegar a vez da minha little girl. Nessa espera, juntou-se de mansinho um novo instrumento de fundo: a minha avó a ressonar! Foi imediatamente intercetada pela cotovelada da minha mãe! Ela tem este tique descontrolado, mais repetido nos dias de frio...quando se encapsula nas suas fazendas e se enrosca. É um perigo convidá-la para acontecimentos públicos, como ir ao cinema ou ao teatro. Particularmente no teatro que tem aqueles cirscunspectos momentos de silêncio...um embaraço..."Vó, Vó!! Acorde! Está a ressonar!!!",  "Estava, filha?!! Vê lá tu!". Aqui também quase me finjo de morta, com a vergonha. Mas dei por mim a pensar durante a audição que daqui a uns anos serei eu a roncar publicamente, se não for pior. Por isso, tenho que me rir e achar graça. Afinal com o envelhecimento a paços largos, as plateias vindouras serão um enorme e compacto coro de roncos em uníssono. E nós lá no meio, certo?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

As atribulações da vidinha

por kika_70, em 11.12.12

 

Que coisa mais doentia não ter ainda conseguido vir aqui a este nosso “espaço de cidadania”. Perfeitamente entalada em vicissitudes diversas é o que é! Desde logo o pesaroso acontecimento do meu peixe zarolho ter falecido, deus o tenha….Por falta de tempo para lhe dedicar um enterro digno, manteve-se a boiar durante uns dias e o companheiro de cela, o vermelho, acabou por solidarizar-se e falecer também. Ora, face à profunda dialética que eu estabelecia com o preto zarolho, vi-me mergulhada num amargo transe. De quem posso eu agora esperar uns lances de olhar?....Digam-me! Já nem obras há ….

Bom, life goes on…o capitulo seguinte foi assinalado por uma paralisante dor nas costas. Lá fui eu para o Osteopata que exercitou torturas medievais estirando-me o esqueleto em viés e repuchando-me as ossadas em modo sádico. Ah! E tudo isto em poses despudoradas…leia-se, sem “parte de cima”. Larguei 120€ em duas visitas e descobri que tenho umas cenas por aqui pelos ovários e cólon, além de ter sofrido umas quase perfurações na barriga daquelas duas manápulas a remexerem-me as vísceras . Yhak!! Nada chique!

Tudo isto bem mexido com afazeres domésticos e filhos.

Filhos….1,2,3 respira, respira, bem fuuuundo…. Lindos e encantadores, os meus rebentos. Não há como eles para me enaltecerem a vida, não há de facto. Mas às vezes é dose de cavalo. A minha filha, que sabe da existência deste fórum de loucura, se ler isto vai-me dar razão. É que as portas a bater, os gritos e os grunhos pela casa não são normais. Parece a feira da ladra, valha-me deus! Qual a melhor estratégia? Finjo-me de morta! Houve um tempo em que passava à frente do Hospital dos Malucos e vaticinava: “é para aqui que venho um dia, meus filhos!...” e eles “HÃ?!! Qué isso mãe?!” “Nada, nada…” retorquia. Ficava tudo na mesma comá lesma.

Mas considero-me uma mãe sempre operacional para eles. No que posso, lá vou eu! Este fim de semana fiz-lhes o picnicão com tanta trampa, meu deus…vimos o Madagáscar que me fez rebolar a rir. O “mai novo” ocupou o sábado no surf e a filha do meio exibiu as suas competências musicais num concerto fantástico. Já o teenager estudou (o possível) para os três testes desta semana. Almoço em família alargada no sábado e no domingo em ritmo non stop, sempre com o meu irmão cão aos saltos desenfreado. Passou o fim de semana.

 E agora mais uma semana a começar num ritmo mais calmo, assim espero.

Amanhã estou ansiosa de ver a minha piquena, flor e fera tudo-ao-mesmo-tempo, a  emparelhar aquelas suas mãozinhas ágeis com o piano, num recital fofinho…

Beijinhos a todas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá cá estou eu o brise contínuo..............

por kika_70, em 05.12.12

Meus amores!! Venho aqui rapidamente para me retratar. Não, não vos abandonei; não, não vos esqueci

; não, não virei as costas a atividade de blogger; e sim! ainda vos amo!

O facto é que tenho sido atropelada por acontecimentos e vicissitudes várias que me impedem de fazer jus ao nosso pacto de mantermos esta chama bem acesa. Mas prometo-vos que dedicarei a este espaço um pouco mais de texto do que esta apressada mensagem de desculpas.

Espero que estejam bem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Entregues à bicharada

por kika_70, em 20.11.12

 

Não dá para a acreditar no acontecimento que hoje ameaçou a segurança do meu pai!  Observem que este relato traduz bem o “sem rei nem roque” em que vai este país.

Passo a explicar: desde há largos anos que se nos habituámos a um peculiar fenómeno social a que se chama “Arrumadores”. Sim, com maiúscula (!), porque se arrogaram de uma espécie de estatuto corporativo. Essa cambada de párias esmolantes lá tem os seus códigos, o seu salário, as suas comissões, o seu posto de trabalho, a que só falta o relógio de ponto. Uns verdadeiros assalariados a quem tememos que nos risquem a pintura do carro. Esse sempre foi o medo dominante, tão somente. Mas pasmam-se agora! Porque, estes animais também agridem e esmurram.

Pois é! Foi o que aconteceu hoje ao meu querido pai, ainda dentro do carro, perto do Corte Inglês. Levou dois violentos murros nas ventas e ficou imediatamente transformado num caboz. Mas, como tenho um pai mui valente, foi vê-lo lançar-se para fora do carro e protagonizar uma épica cena de pugilato no meio chão, ao bom estilo Stallone.

Nem um polícia... Apenas uma legião de taxistas que tentava separá-los, enquanto a minha mãe, coitada, ameaçava chamar o 112, não sem antes ter interpelado o troglodita “oiça lá qual é sua  profissão?!!!! O sr é dono disto p’racaso?” (pelo amor à camisola que esta gente tem, ele dir-lhe-ia que “sim” obviamente).

Ah mas o meu pai chegou-lhe! Mesmo de ventas reviradas do avesso, lá lhe afivelou umas biqueiradas! “My hero”!  Por fim lá se pisgou, o animal. Nunca mais ninguém o viu.

Nesta história bizarra, o que me aflige é pensar se não tivesse sido um duplo murro nos olhos, mas antes uma naifada mesmo à chunga, com graves e irremediáveis consequências?

Não posso deixar de me rir do caricato de toda a cena, mas preocupa-se esta complacência por um lado, e esta impunidade, por outro; esta convicção de que não vale a pena dar parte à Policia de quem só receberíamos uma bateria de burocracias para cumprir. Preocupa-me que a nossa sociedade continue neste processo procriação de inúteis que, infelizmente, serão cada vez mais…à solta e inimputáveis, como se vê.

Mas, graças a Deus, o meu pai está ótimo e vai amanhã para a caça com o grande tio Luis. Será que tem olho para a espingarda?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O PICNICÃO

por kika_70, em 14.11.12

Babes, antes de mais:

Nem imaginam o que aconteceu....o meu post andou em perdido desde 2ª feira...sim! porque eu não falhei e embora tarde tinha matéria publicada que razava assim.

 

 

Já tarde vos escrevo, honrando a data que me está destinada, as segundas feiras, já com penalização de atraso.

Em jeito de gozo, aproveito para partilhar convosco uma dúvida que me assola sobre modelos de conquista dos nossos filhos, ou melhor, de sedução, acreditando eu que conquistados já estão eles, e visceralmente, desde que os parimos!

Bom, a verdade é que na minha casa a comidinha é um grande catalisador do bom ambiente  e da boa onda que se deseja para apaziguar o zum zum de fundo que diariamente me inferniza e que tem aquela musicalidade muito própria: Eles, “Ó mãe olhe ele!” “Sai daqui! cheiras mal”, “Não sou eu a por a mesa”, “Ó mãe ela está a fazer barulhinhos irritantes! ”, “Ó mãeee acabou o papel higiéeeeenico”! “És mesmo cretino”, seguido de ”Quem diz é quem é”; Eu: “Desliguem a água”, “Vão lavar os dentes!” “Arrumem o quarto”, “Já vos disse 10 vezes”  “Olha esse tom!” “Despachem-se!!” Uffff!!!!!!!!!!!

Vai daí que pensei inaugurar desde a passada sexta feira a “Noite das Porcarias”. Ou seja, instituí o dia em que as minhas adoráveis crias se podem entupir de coca-cola, alambazarem-se de cachorros afogados em ketchup e batata palha, e encerrarem a noite a ver um filme em família feliz, banqueteando-se de pipocas Pingo Doce.

Naturalmente que o facto de pormos em prática este programa caseiro em conjunto e COMIGO, foi para eles fascinante. A sala transformou-se em camarata e até um colchão  estacionou em frente à televisão. A sexta feira foi elevada a dia da infração-mor das regras instituídas. Mas, indiscutivelmente, o que os pôs exultantes foi o PICNICÃO!  E passou a ser a moeda de troca para uma semana de serenidade.

E é este mesmo o “ingrediente-secreto-do-ingrediente-secreto”: a comidinha!

(nota: mas não a minha(!), eminentemente verde, a que eles aderem educadamente, mas com um esgar, ó-não-outra-vez-não…))

Para testar a minha tese, pergunto-vos se se passa o mesmo convosco.

Voltando à rave de sexta, acrescento que tive foi um pequeno imponderável… que, em mim, aliás, é demasiado óbvio e previsível (e… é nestas coisas que o peixe zarolho não vale um boi!!!) O DVD não funcionou. Mesmo depois de me ter entrelaçado em cabos poeirentos vindos de todos os cantos num cenário de perfeito horror em que nada encaixava em nada!!

Mas lá nos safámos com o Mama Mia do armazém da Zon. Foi muito bom e eles deliraram!   

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nesta idade 2

por kika_70, em 04.11.12

 

Queridas, registei, embevecida, a onda de solidariedade gerada em torno da minha preleção. Creio que a interpretaram como uma espécie de desabafo de desalento e, por isso, sentiram-se impelidas a dedicar umas palavrinhas consoladoras. Senti-as com agrado e renovei a esperança no futuro! Delas destaco o esforçado relato do desfecho feliz do viúvo que finalmente (!) no lar encontrou  a sua princesa - o que me deixou ávida de chegar rapidamente ao segmento sénior!- e não pude deixar igualmente de  apontar o vaticínio de que “às vezes milagres acontecem” Glup!

Como não nos vemos há algum tempo, tranquilizo-vos, minhas fofas, que não me sinto dominada por qualquer espécie de ânsia ou nervosismo em apressar acontecimentos, apesar do meu tom melodramático intimamente denunciar que era mesmo de um Indiana Jones que precisava, até porque o voltaren rapid já não me faz porra nenhuma a esta teimosa tensão muscular :-)…………….

“keep calm and carry on” é o meu mood presente. Sem projeções, sem futurismo a viver cada minutinho o melhor que souber. Mas sempre treinando as expetativas positivas porque só assim vale a pena!

Adoro o meu peixe zarolho, é verdade, mas estas dores no pescoço………

beijos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nesta idade

por kika_70, em 30.10.12

 

Ai amigas………há daqueles sorrisos que não nos deixam indiferentes ainda que só num esboço…Podemos imaginar que são para nós (e não serem) e ficamos em jeito de patetice infantil a imaginar se fossem…Pois…. a imaginar …em efabulações vagas…porque não temos idade para estas coisas. Ou temos? Podemos pensar em paixão à séria? Daquela que nos arrebata, que nos cega e que, à bruta, nos atira para um estado catatónico?!

 

Citando a matriarca, nestas idades (vejam bem “nestas idades”! ) já ninguém se apaixona. Tem-se, antes, um amiguinho leal e fiel. Ora, esta espécie de máxima tem que ser severamente combatida! Sim, porque aceitá-la é dar por certo que estamos “nesta idade” sim, e já em modo rugoso ou em estado de fóssil esparramado numa cavernosa parede húmida, pacientemente à espera que um qualquer arqueólogo pensionista que nos leve diretamente para aquele museu antiguinho da Rua da Escola Politécnica. E não, não temos direito a que seja um indiana Jones da vida, esqueçam lá isso!

 

Haverá algo mais deprimente do que só podermos almejar com alegria passar a ferro colarinhos de um bom companheiro, também ele amarfanhado pelo tempo e aromatizado com naftalina? Vai-se a ver e até trocar uma algália é visto com prazer, porque “nesta idade”….enfim…”nesta idade” estamos acabadas!

 

O sonho do ” bom amigo, bom companheiro, amigo dos filhos, boa pessoínha, com um trabalhinho honrado e certo”, para mim não existe. Prefiro o egoísmo da cama só para mim e ter o espelho como fiel aliado a olhar-me nos olhos. Prefiro o silêncio da casa e o meu peixe zarolho a galar-me de manhã quando não me esqueço de lhe dar comida.

 

Contudo, entretanto, minhas queridas, não vou desistir de imaginar que aquele sorriso se esboçou para mim, que aquele meio olhar se fisgou para mim, ou que aquele olá se arrevesou para mim….. E de tanto imaginar e acreditar na abstração do pensamento, chegará um dia em que algo de mágico pode surgir …para mim… “nesta idade”….

Boa noite!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Iniciação bloguista

por kika_70, em 29.10.12

Lindas, câmbio-câmbio! kika70 speaking! Finalmente pessoal!

Regozijo-me com este momento que é para mim uma vitória depois do desvio colossal a que fui sujeita ao perder o meu primeiro testemunho bloguista. Sim, amigas, não foi tarefa fácil e eu sabia! Eu pressentia o terror a acontecer, porque há sempre cenas maradas que me atazanam nestas lides informáticas. Mas, prontus!, já cá estou para o cumbíbio.

Não posso estar mais grata à nossa mentora-líder-espiritual-incansável (todas sabemos a quem me refiro) que nos soube arrancar do marasmento dia a dia. A ela presto homenagem em jeito piroseco! Querida é para ti este post porque é o primeiríssimo J.

Isto é muito bom. No blog sinto-me supê moderna, a ombrear com os famosos que tb teem um bloguinho!....“Ai sim?!... Tens a Lagartixa e o Jacaré?! E depois?!.. Eu tenho o “demaneiraquéassim”, “Olha e é aberto, é de partilha, hã? Democrático, c’as nhas amigas!!)

A dream came true………

Agora, toca a postar, ao estilo “demaneirasquéassim”, em que só me vejo de pochete debaixo- do- braço-mais-propriamente-sob-o-sovaco-a-beber-o-abatanado-da-manhã-c’as-colegas-do-serviço" É nesta imagem que me detenho e a que se junta “aquele” estalar de língua.

 Cada uma dirá de sua justiça nesta espécie de espaço aberto ao exercício da livre cidadania (Manuel Alegre?...). Vamos cuscar as vidinhas, os pensamentos, as maluqueiras e as peripécias umas das outras. E tenho a certeza que vamos ficar surpreendidas, ao cabo destes 15-20 anos. Muito tempo passou, muita coisa mudou, mas sobretudo, NÓS, nós mudámos!

Beijos

Kika70

Autoria e outros dados (tags, etc)


calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728


Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Who's among us?




Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D