Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Titi - Parte I: O princípio

por titi, em 29.11.12

No dia em que ele nasceu, eu estava a 500 km. Como era um parto programado, contava ter tempo de terminar as obrigações desse dia, voar (numa camioneta que demorou 7h) para o hospital e estar lá no momento em que a família fosse autorizada a conhecer o minúsculo recém-chegado. Consegui, depois da viagem ligada à corrente, constantemente a trocar telefonemas com os que estavam no hospital a acompanhar o acontecimento. Pareceu-nos, como a todos os que acolhem um bebé desejado, a coisa mais bonita do mundo, enrodilhado, vermelhíssimo, com o queixinho para trás, bracinhos encolhidos e cruzados. Agora, quando vejo as fotos desse dia, já não acho que fosse assim tão bonito, desculpa lá, mãe, mas naquele momento era. Quando, já no quarto, o resto da família acompanhou o recém-pai, esverdeado e com ar de quem ía falecer ali a qualquer momento, ao Califa para comer alguma coisa (eram 9 da noite, o desgraçado não engolia nada desde as 7 ou 8 da manhã e desde aí a mulher dele recomenda a todas as mães-to-be que levem bolachas para a maternidade para o pai em quem nesse dia ninguém pensa mas que convém que se aguente de pé). Eu fiquei a velar a mãe recém-nascida. A enfermeira tinha deitado o bebé encaixado na dobra do braço dela e lá estava muito sossegadinho. Só que a dita começou a sentir o braço dormente, começou a ficar à rasca e eu tive a minha oportunidade: peguei no primeiro recém-recém-recém-nascido que também era meu para a mãe dele poder acomodar-se melhor na cama. Foi uma coisa que me bateu de tal maneira que nunca mais me passou e espero que a ele também não. Quando me diz que sou a pior titi do mundo ou ameaça espezinhar bebés, olho e em vez do marmanjo que já é, vejo aquele caganito, o badameco, aquele nada de Março de 2006.

 

Continuação: o tempo ía passando e não aparecia ninguém no quarto. A mãe começou a ficar apreensiva, eu também. Não será preciso dar-lhe leite? Os bebés precisam de beber leite. E mudar fralda, se calhar devia-se mudar-lhe a fralda, eles costumam precisar. Pois, não sei. Será que é normal estar a dormir tanto? Bem, mas essa parte já não é para este post.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vida na cidade pequena

por titi, em 29.11.12

Esta aconteceu com uma amiga que passa uma parte significativa do tempo numa cidade pequenina e afastada dos centros onde as decisões se tomam, dos cinemas, dos centros comerciais, dos espectáculos, das lojas giras (museus bons, por acaso tem) e ... do anonimato das cidades grandes. Vou contar, que ela deixou:

A amiga mora no centro histórico da dita cidade e, claro, por lá se desloca com muita regularidade. Os percursos que faz, ela e toda a gente por ali, são inevitavelmente sempre mais ou menos os mesmos quer vá para o trabalho, ao supermercado, jantar fora, à farmácia ou o que for, muitas vezes a pé. Um dia, resolveu experimentar um cabeleireiro novo e escolheu um, perto de casa, que fica no 2º andar de um prédio e tem uma janelona com vista lá do alto para a rua. Entrou e explicou à cabeleireira (que nunca tinha visto na vida) o que queria fazer. A fofinha respondeu:

''Realmente precisa, precisa, já tinha reparado que está a precisar. Que eu em roupas não reparo mas de cabelos não me escapa nada e já tinha visto esse redemoinho que tem no alto da cabeça''.

Tão querida!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Who's among us?




Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D