Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



E a vida continua como se não fosse nada

por titi, em 04.10.13

 

Líderes mundiais pedem medidas urgentes para combater contrabando marítimo de imigrantes clandestinos. Na pequena ilha, o desespero: "Já não precisamos mais de ambulâncias, só de caixões"

"É uma tragédia imensa, um horror sem fim", lamentou ontem a responsável do município de Lampedusa, Giusi Nicolini, após mais um naufrágio de uma embarcação carregada com imigrantes africanos, ao largo da pequena ilha quase no limite das águas italianas. O fenómeno tornou-se frequente, mas o desastre de ontem deixou a autarca sem fala: assoberbada com o movimento incessante das operações de resgate, e as lágrimas a escorrer-lhe pelo rosto, só conseguiu descrever o óbvio. "O mar está cheio de corpos, parece um cemitério."

Um incêndio a bordo terá sido a causa imediata do afundamento do navio, com 20 metros de comprimento, e que zarpara dois dias antes do porto de Misrata, na Líbia, com cerca de 500 pessoas a bordo. Entre os 130 mortos recolhidos ontem estão duas mulheres grávidas e várias crianças. Por encontrar estavam ainda 250 desaparecidos - quase todos de origem eritreia e somali, tal como os 159 indivíduos resgatados das águas, em choque, desidratados e exibindo sintomas de hipotermia mas sem correr risco de vida.

(...)

Nos primeiros seis meses deste ano, os portos de Itália e Malta receberam 8400 imigrantes clandestinos, o dobro daqueles que buscaram o território europeu no período homólogo de 2012, disse ontem a Agência das Nações Unidas para os Refugiados. Tal como aconteceu em 2011, quando se assistiu a um êxodo motivado pelas convulsões das Primaveras Árabes, a maior parte dos clandestinos que arriscam a viagem fazem-no por motivos políticos (para escapar ao serviço militar obrigatório, por exemplo). A maior parte dos passageiros são da zona do corno de África e da Síria.

As redes que se encarregam deste tráfico cobram milhares de euros por passageiro: as pessoas são transportadas em balsas, traineiras e outras embarcações que muitas vezes não cumprem os requisitos mínimos de navegabilidade, sem coletes salva-vidas e sem espaço para se mexerem.

 

Notícias como esta horrorizam-nos a todos mas depois de ter lido este livro

saber que tais tragédias continuam a acontecer é uma agonia. Às vezes não sei como é que as pessoas que sistematicamente socorrem estas pessoas desesperadas não acabam como o protagonista do livro (acabou por morrer tresloucado com as tragédias que testemunhava - uma em particular, foi a gota que o fez transbordar).

Num dos podcasts que ouço repetidamente, a psiquiatra Carmo Sousa Lima diz que acha extraordinário que as pessoas não enlouqueçam todas e consigam manter um relativo equilibrio nas suas vidas e eu revejo-me nas palavras dela. Para evitar que isso aconteça, vou andando e fingindo que não se passa nada. Como fazemos todos. Mas há dias em que ...

 

O editorial do Público de hoje reconciliou-me com os editoriais do Público, tal como ontem o discurso do Papa me tinha reconciliado um bocadinho com a instituição que ele dirige.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



calendário

Outubro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031


Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Pesquisa

Pesquisar no Blog  



Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D