Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mesquinha, miudinha e pequenina

por titi, em 26.06.13

Acabei a manhã de hoje a sentir-me, não sei ... pequenina, miudinha, chaaaata. As razões:

1. A minha vizinha de baixo é uma jóia de pessoa. Tão boa, tão boa, tão boa que, quando lhe esmurrei o carro a estacionar o meu e lhe implorei repetidas vezes que me deixasse pagar o arranjo, me ignorou, disse que não liga nenhuma ao carro - desloca-se quase sempre de bicicleta, que inveja - e, se não me engano, nem mandou pintar os riscos. É tão boa, tão boa, tão boazinha que faz de tudo para evitar situações menos agradáveis e nunca, mas nunca resolve nada, pelo menos os assuntinhos desinteressantes mas essenciais ligados à gestão de um pequeno condomínio que têm que funcionar impecavelmente para se manter o bom ambiente. Dá-se o caso de, quando na noite de S. João regressámos da bela festa, termos dado com a escada do prédio toda cagada sem nenhuma possibilidade de os responsáveis serem outros que não ''a vizinha''. Depois de vários dias sem ela ou outro em seu nome ter tomado a iniciativa de pegar numa vassourinha e limpar a terra do chão, mandei-lhe uma SMS a pedir que por favor, resolvesse a situação. Resposta ''estou fora de Portugal há duas semanas, chego no domingo e resolvo. É o meu irmão que está lá em casa.'' Eu contra-ataco, em tom irritado, ''Esqueça, não dá para deixar esta porcaria até domingo, eu limpo, boas férias.'' Ela outra vez ''Estou fora de Portugal a trabalhar mas vou falar com o meu irmão''. Eu, para rematar ''OK, desculpe ter incomodado, um beijo.''

É que a minha encantadora vizinha é médica e - embora isso em nada mude a substância da coisa que é, se patinhas um lanço de escadas com terra é simpático varrer de seguida - imaginei-a a ler a minha SMS enquanto uma criança de um país pobre agonizava à espera que ela a pudesse atender e de repente senti-me, sei lá, mesquinha. Acabei como das outras vezes, a pedir desculpa pelo incómodo.*

* outras vezes = não poder colher ervas aromáticas do meu pátio porque os gatos dela mijam tudo, ter cuidado a entrar no pátio com os miúdos porque o cão dela espalha cagalhotos por todo o lado e ela não limpa, acordar vezes sem fim a meio da noite com os ganidos e pontapés que o cão - muito fofo, por sinal - dá na porta quando ela faz noite e o deixava sózinho em casa. Só que ela é tão boa pessoa, tão peace and love, tão zen que quando tento pedir-lhe que cumpra com aquilo que prometeu e implore ao cão que nos deixe dormir, acabo sempre a pedir desculpa pelo incómodo.

2. Sim, há mais: o estacionamento na nossa rua está a ficar uma selva e, quando cheguei ao carro, havia outro a impedir a saida. A impedir, mais ou menos, porque se eu não me importasse de subir um passeio, conseguia tirá-lo de lá. Mas eu, que subo aquele passeio vezes sem conta quando me convém, hoje, sei lá, não tive vontade. Talvez por me ter lembrado de que ontem o meu marido não conseguiu sair para levar o A. à escola por causa de outro carro que lá estava a impedir a passagem, que chamou a polícia mas ao fim de quarenta minutos de espera desistiu e levou o outro carro. Vai daí eu, antes de zarpar com o carro passeio acima e estrada afora, agarrei num papel e deixei no pára-brisas do infractor um bilhete inflamado que dizia mais ou menos ''se com a sua falta de civismo voltar a impedir a passagem do meu carro, não se espante com as consequências''. Acham que o dono/a terá ficado assustado?

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30


Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Pesquisa

Pesquisar no Blog  



Arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D