Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Desressaca

por titi, em 28.02.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

Filhos à moda do Porto

por titi, em 27.02.14

Quando era pequena achava uma curtição a diferença evidente entre a maneira como eu e a minha irmã falávamos e as coisas que os nossos primos diziam.

Se em pequenita via essa diferença com estranheza, na adolescência com sobranceria - fui uma besta de adolescente -, como adulta jovem com naturalidade, agora, como mãe de filhos do Porto que falam à Porto, deliro.

Os meus filhos dizem ''saca'' em vez de saco, ''vagem'', quando não é bágem, ''aguça'' para um afia e, a minha preferida, ''um nadinha''. Ouvimos constantemente  ''quero mais um nadinha de ...''. Adoro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Contracorpo

por titi, em 26.02.14

A caminho do último domingo em Lisboa, deixei a bagagem na mala do carro de uma amiga. Está bem que era quase só roupa interior, tenho em casa dos meus pais tudo o que é preciso para duas ou três noites, o trágico da cena é que dentro do carro da OM ficou também o livro que estou a ler, e assim me vi com duas horas dentro de um comboio, sem livro, revista ou maneira de aceder à net. Tinha-me armado em emancipada e decidido passar um fim-de-semana livre de computador, o telemóvel estava quase sem bateria. Ressaquei mas sobrevivi (mal).

De regresso a casa, peguei noutro livro da mesa de cabeceira, mais ou menos ao acaso, para preencher o vazio da falta do outro (só vou rever a OM e o seu carro na 6ª feira). Sem expectativa, só o tinha comprado por ter lido numa entrevista sobre este livro uma alusão a um artigo de uma pessoa que já morreu e que eu prezava. Quando comecei, desdenhei. Ao fim de vinte páginas, entrei. E adorei.

Recomendo às minhas amigas que diariamente bufam de exaustão por causa da via-sacra da educação dos filhos adolescentes. Como poderão ver se lerem o livro, não são as únicas.

O livro, de título brilhante, é

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da felicidade, ao almoço

por titi, em 25.02.14

António, és um menino feliz?

''Mais ou menos, o Vasco é mais.''

Achas? Porquê?

Uns momentos de reflexão, enquanto mastiga ruidosamente (muito ruidosamente) uma fatia de pizza.

''Porque às vezes as pessoas dão-me presentes que eu já tenho. Por exemplo, uma vez a Samicas deu-me um puzzle que eu já tinha. Quero fazer cocó.''

Ah.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nova Etapa da Vida III

por Teira, em 25.02.14
Boa noite, queridas amigas.
Sem sono, mas muito emocianada com um video de uma curta
animação que ganhou o prémio Goya.
Estas pequenas maravilhas fazem-me acreditar que ainda
é possível um Mundo sem diferenças, em que todos são
capazes de pequenos grandes gestos que podem transformar a vida de
qualquer pessoa.
Já vi o video vezes sem conta, emocianada e com lágrimas nos olhos.
Mas para mim é tão inspirador que necessito de o rever para ter força para continuar.
Desde de sempre que o tema das pessoas com
deficiência me toca profundamente.
Talvez pela minha irmã F.
É ela que me faz levantar todos os dias. É ela que ainda me faz crer
que a minha vida tem algum sentido.
Há um ano atrás escrevi 2 post sobre Uma Nova Etapa da Vida.
A F. tinha começado a dormir de 2f a 6f na instituição onde já andava durante o dia.
Contei os meus medos e receios. E achava que o maior problema seria a adaptação dela. Pois fui bem enganada.
É claro que os fins de semana são sagrados, em casa. Mas está bem.
Eu ...só posso dizer que não iniciei nova etapa nenhuma. Parei no tempo. Bloquei, e não consigo dar o passo em frente.
Tanto tempo, e nada mudou na minha cabeça, na minha vida.
Parece sim que tudo piorou.
Será dificil para vocês entenderem, mas apenas posso dizer que desde muito nova, este foi o objetivo de vida que tracei.
Não, não era só isto que queria. Era muito mais.
Mas é isto que consegui. Será pouco? Sim, talvez. Não é impossivel ter uma vida própria, construir uma família minha, atingir outros objetivos e
a F. pertencer a essa vida. Mas não foi esse caminho que segui, talvez por fraqueza e até para criar um refugio para nós.
Agora o tempo passou e os meus maiores sonhos ficaram para trás.
Por isso digo qud a F. é a minha vida.

Vejam este video se conseguirem. Vale a pena.
Eu vou vê-lo sempre que possa.
Até breve
http://videos.sapo.pt/NpaSnzJBRH55PLLm1kFY

Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu coming out

por titi, em 24.02.14

Não sou leitora de banda desenhada. O homem da casa já tentou. Pensou e seleccionou com amor o melhor do seu acervo. Escolheu criteriosamente três ou quatro livros que acha obrigatórios e acessíveis a não iniciados. Passou-mos e ficou à espera da reacção. Eu, um penedo, como em todas as outras tentativas. Irrita-me, distrai-me, não consigo. Os desenhos são ruído, não me deixam concentrar no essencial, que é o texto. Desisti, nunca hei-de gostar de ler banda desenhada. Sei que sou uma parede, um boi, um penedo, uma besta, um tronco e aqui e agora faço o meu coming-out: sou a Titi e não gosto de banda desenhada.

And yet ... esta prancha, oh esta prancha maravilhosa ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Depois das cólicas, dos dentes e sei lá que mais, a biologia

por titi, em 24.02.14

 Como apregoei infinitas vezes aqui e em todos os sítios onde estiveram para me ouvir, o Vasco deu-nos noites tormentosas até perto dos três anos. Houve noites de tamanho desespero que estou certa de nem sempre o ter tratado com a serenidade e a paciência de que ele precisava mas estava exausta e em muitos momentos pensei que não aguentava nem mais uma noite assim. Chorava (ele e eu), contorcia-se, dava sapatadas no ar, chamava, sentava-se, queria brincar, queria o pai, queria a mãe, queria colo numa posição específica, um horror. Idas à pediatra, telefonemas para a pediatra, Atarax, gotas naturais, mudar o leite, eliminar o leite, tentámos tudo. Estivemos a um triz de contratar um senhora que faz vida de ir passar noites a casa de pessoas em situação limite, acalmar bebés com o nosso.

Fiquei mais burra, mais desmemoriada, mais olheirenta e com muito mais cabelos brancos do que se não tivesse tido um filho assim. Aliás, se ele tivesse sido o primeiro, tenho sérias dúvidas de que nos tivéssemos atrevido a deitar ao mundo um segundo.

Agora, com três anos recém feitos, a coisa mudou. É verdade que é rara uma noite sem nos chamar mas basta que eu me enfie na cama com ele e, geralmente mas não sempre, sossega e dorme. Sim, a meio da maioria das noites mudo para a cama dele. Não é a maneira certa de fazer a coisa (a coisa=educar)? Não promove a autonomia, a independência, a auto-estima, essas cenas? Olhem para mim preocupada. Consigo dormir mais do que quatro ou cinco horas interrompidas, logo parece-me o arranjo perfeito. Pelo menos, o possível para me aguentar de pé durante o resto do dia.

Depois de uma série de noites boas, na madrugada de sábado voltei a ver a vida a andar para trás. Estávamos a passar o fim-de-semana na casa dos meus pais e a dormir todos no mesmo quarto. Às cinco da manhã ouço:

''Mãe!''. Fiz-me moita.

Outra vez, ''Mãe!''.

E eu, ''Cala-te que acordas o António''.

''Mãe, temos esqueleto no corpo todo?''

''Sim, temos. Dorme.''

''E ele morde?''

''Dorme.''

''O esqueleto é mau?''

''Porque é que estás a pensar nessas coisas agora? É hora de dormir!''

''Vi no livro do ''corpo-do-mano''.

Depois, lá se apaziguou com a imagem do esqueleto do livro do corpo humano e dormiu. Eu é que já não. Outra vez.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Home alone

por titi, em 21.02.14

Como, mas como é que se deu esta cena inusitada de eu estar sozinha numa casa silenciosa e arrumada num serão de sexta-feira, com marido e filhos a caminho de Lisboa?

Resposta:

a minha versão: como o esposo tem uma reunião em Lisboa amanhã, decidimos ir lá passar o fim-de-semana. Como se dava o caso de eu me ter inscrito neste workshop e estar à espera do dia com grande expectativa, decidimos que os homens da casa partiriam hoje e eu me juntaria a eles amanhã ao fim do dia, de comboio.

a versão que o António me contou que contou na escola: vamos passar o fim-de-semana a Lisboa porque os avós estão sempre cheios de saudades nossas, coitados, a mãe vai só no sábado porque vai a um workshop para aprender a escrever melhor em blogs.

Na versão A ou na versão B, perspectiva-se um grande fim-de-semana, a acrescer ao facto de as notícias da consulta de hoje não terem sido más. Correcção: perspectiva-se um grande fim-de-semana.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um verso para alumiar o dia

por titi, em 21.02.14

Contra todas as evidências em contrário, a alegria

Manuel Gusmão, Teatros do Tempo, Editorial Caminho (2001)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mau demais para ser verdade

por Checa, em 20.02.14

Então a Ginjinha das Portas de Santo Antão está em risco de fechar para ser construído um hotel de charme?! A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou um plano para retirar a calçada portuguesa?!

Por mim estejam à vontade... até podem implodir aquele palácio cor-de-rosa para os lados de Belém que seguramente ninguém dará pela sua falta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3



calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728


Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Who's among us?




Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D